Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Aonde vamos parar? Facção mata idosa com tiros na cabeça

Aonde vamos parar? Facção mata idosa com tiros na cabeça

Um corpo de uma idosa de aproximadamente 65 anos de idade foi encontrado em um beco na Favela do Caroço, na Praia do Futuro, na zona Leste de Fortaleza, na noite da última segunda-feira, 08. A mulher, que não teria envolvimento com crimes, foi morta com, pelo menos, quatro tiros na cabeça.

Nas paredes do local do crime é possível avistar as siglas de duas facções que dominam o a região. A Polícia não tem, ainda, pistas dos criminosos, mas há suspeitas que o crime foi praticado por ordem de traficantes de uma facção rival ao grupo que domina a favela. O grupo teria invadido a favela na tentativa de tomar o território da quadrilha rival, mas como não encontraram os inimigos, mataram o primeiro morador que encontraram pela frente.

Até o momento, os 1.499 homicídios que ocorreram no Ceará desde o início de 2018 são fruto de confronto entre facções criminosas rivais regidas pelo tráfico de drogas e armas. Entre uma briga e outra, o que observamos são alguns crimes sem alvo específico, como o caso da idosa apresentado acima. Com a intenção de marcar presença dentro do território contrário, os criminosos disparam ao acaso e acabam vitimando pessoas inocentes, sem precedentes criminais.

No caso da mulher morta na Praia do Futuro, os vizinhos com medo de represália dos criminosos, sequer ligaram para a Polícia após o assassinato para que o corpo fosse localizado nos becos da comunidade.

Perde-se assim, a dignidade humana, por sua vez substituída pelo medo e o terror de ser a próxima vítima.
Inúmeros relatos também dão conta de ameaças por traficantes a cidadãos comuns e suas famílias. Os casos mais recentes são de PM's que precisaram deixar suas casas ou, até mesmo, trocar de cidade após sofrerem intimações graves.
Uma coisa é certa, vivemos na época do "Estava no lugar errado, na hora errada", onde os criminosos conseguem impor suas regras pela violência.

 

Compartilhe esta notícia:

Comentários

 

Seja o primeiro a comentar!

Deixe um comentário


Preenchimento obrigatório!

Preenchimento obrigatório!E-mail inválido!

Preenchimento obrigatório!Valor inválido!

Preenchimento obrigatório!